Música

The Record – boygenius – Crítica

Compartilhe:

Desde o primeiro momento em que você aperta o play, já pode dizer que houve um grande crescimento no acampamento Boygenius. A primeira faixa atua como uma precursora da intensa química entre o trio, uma harmonia sem instrumentos entre Baker, Bridgers e Dacus inaugura The Record para mostrar essa nova abordagem ao som da banda. 

 

Eles estão agindo como uma unidade em comparação com o recorde de 2018, onde as contribuições individuais foram mais prevalentes. Desta vez, os três artistas parecem mais uma banda completa do que um antigo supergrupo. “Without You Without Them” é a introdução de um minuto que dá o tom para The Record, uma coleção de músicas mostrando algum vínculo não dito entre os três músicos, uma compreensão das emoções individuais de cada um e filtrando-as em uma mensagem clara. 

 

 

O supergrupo começou a trabalhar no ‘disco’ em 2020, dois anos após o lançamento surpresa de seu primeiro EP autointitulado . Desde então, o trio tem estado ocupado fazendo e fazendo turnês por conta própria, posicionando-se como compositores que definem uma geração, conquistando indicações ao Grammy, colaborações de alto nível e o respeito de seus colegas ao longo do caminho. De alguma forma, no entanto, apenas uma semana após o aclamado segundo álbum de Bridgers ‘ Punisher ‘ lançado, eles encontraram tempo para flertar com a ideia de reunir a banda novamente, compartilhando demos, fazendo perguntas e colapsando suas composições individuais e propensões musicais em algo novo. . Eles são um supergrupo que vale a pena, e que assumem poderes extras quando trabalham juntos.

As quatro primeiras canções vieram de composições solo, mas funcionam como introduções elegantes em seus estilos distintos. Baker trouxe o brincalhão e errático ‘$ 20’, como um meio para a banda ter “mais riffs doentios”, de acordo com as notas do encarte que o acompanham. “É uma má ideia e eu sou totalmente sobre isso” ela canta em meio a um riff estridente antes de ameaçar, “quando você acordar eu terei ido embora de novo”. Quando Bridgers e Dacus se juntam, uma parede de emoção e sons delicados se forma em torno do esforço de Baker.

Essa mensagem é dividida em 12 peças musicais que capturam todo o espectro da emoção humana e as filtram através de uma lente que vê o mundo como ele é apresentado enquanto ainda encontra magia no mundano. Cada membro do Boygenius é cuidadoso com suas palavras, eles entendem o peso por trás de suas declarações e decidem meticulosamente quais memórias projetar sobre esses arranjos esparsos, porém exuberantes. O trio pega a ideia de vulnerabilidade e reorganiza suas partes para criar um nível de honestidade que muitos temeriam. “Emily I’m Sorry” explora as muitas fases do arrependimento, enquanto momentos como “Revolution 0” explora as nuances dos relacionamentos interpessoais e o preço cobrado mentalmente quando esses relacionamentos vão mal. O recordetem Boygenius canalizando suas experiências e paixões em uma, culminando em uma experiência de escuta vulnerável que extrai tanto da realidade quanto daquelas memórias que retornam para nós em pedaços, forçando-nos a preencher os espaços em branco e criar uma visão não confiável do que era. 

Enquanto Bridgers, Dacus e Baker não são estranhos à melancolia, suas tristezas encontram um pouco de vantagem em seu novo LP. Boygenius não escondeu nada sobre esses arranjos, solos de guitarra empolgantes são recebidos por acústica arpejada com cada elemento fornecendo um tom diferenciado para essas músicas. “Satanist” é impulsionada por surtos de hard rock enquanto “We’re In Love” dança em seu ambiente com uma hesitação reflexiva. Essas diferentes explorações em tempos e humores são unidas por sua ambição criativa, Boygenius poderia facilmente ter reunido seções de cada membro individual. Em vez disso, suas forças individuais colidem nesses arranjos e produzem instrumentais felizes que fornecem uma plataforma para as tentativas do trio de dar sentido ao complexo. 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo