Filmes

La Chimera (2024) – Crítica

Compartilhe:

 


Desvendando os Tesouros Cinematográficos de “La Chimera” em Cannes

Cannes, a cidade da Riviera Francesa, é conhecida por seus festivais de cinema glamorosos e pelas estrelas que desfilam pelo tapete vermelho. No entanto, além das luzes brilhantes e das celebridades, há tesouros cinematográficos escondidos, esperando para serem descobertos. E neste ano, o filme mais surpreendente não foi encontrado em uma aventura arqueológica de Indiana Jones, mas sim na obra etérea e cativante de Alice Rohrwacher, intitulada “La Chimera”.

“La Chimera” é uma fábula pastoral que mistura romance, história e elementos sobrenaturais. Embora não seja um filme sobre arqueologia profissional, ele nos leva a explorar os segredos enterrados sob os cemitérios sagrados de uma pequena aldeia italiana. Os personagens centrais são os “tombaroli”, um grupo de saqueadores de túmulos liderado pelo enigmático Arthur (interpretado por Josh O’Connor, conhecido por seu papel em “The Crown”). Esses saqueadores buscam artefatos valiosos deixados pelos antigos etruscos em seus túmulos, lucrando com suas descobertas para sustentar suas vidas modestas.

A narrativa é rica em detalhes culturais e mergulha na musicalidade da língua italiana. Rohrwacher nos presenteia com uma tapeçaria de imagens granuladas e nostálgicas dos anos 80, enquanto acompanhamos os tombaroli em sua busca por tesouros escondidos. Os figurinos discretos, mas habilmente criados por Loredana Buscemi, nos transportam para outra época, enquanto a performance suculenta de Alba Rohrwacher como a implacável curadora de arte nos deixa ansiando por mais.

A cinematografia de “La Chimera”, assinada por Hélène Louvart, é suave e terna. Ela combina filmagens em 35mm e Super 16 de forma magistral, brincando com diferentes velocidades de ação. O resultado é uma experiência visual que nos faz rir e nos emocionar.

Em Cannes, onde o glamour e a arte se encontram, “La Chimera” é um tesouro cinematográfico que merece ser desenterrado e apreciado por todos os amantes do cinema.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo