Quem é o foragido do PCC, Cebola, que acumula histórico de crimes e lavagem de dinheiro em SP

Compartilhe:

Silvio Luiz Ferreira, o Cebola, de 45 anos, é um foragido da justiça acusado de utilizar uma empresa de ônibus para lavar dinheiro do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele jpa acumula diversas passagens por prisões em São Paulo. 

++Piloto de 26 anos morre em queda de avião agrícola em Ipiranga do Norte (MT)

O foragido já foi condenado por tráfico de drogas e esteve sob investigação em um esquema que transferiu mais de R$ 1 bilhão da facção criminosa para o exterior.

++Tragédia na GO-415: Acidente fatal tira a vida de oito pessoas em colisão frontal entre carros

Cebola é o principal alvo da Operação Fim da Linha, realizada pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) na terça-feira (9), e permanece foragido.

A ação teve como foco o setor financeiro do PCC e identificou movimentações superiores a R$ 732 milhões entre 2020 e 2022, considerando todos os investigados.

De acordo com o MPSP, Cebola é sócio da UpBus, uma das empresas de transporte supostamente usadas para legalizar os recursos da facção. Essa companhia opera linhas de ônibus na zona leste e é responsável por cerca de 1% de todos os passageiros da capital paulista.

Durante o cumprimento de mandados de busca, foram encontradas armas no apartamento de Cebola, localizado na região do Tatuapé, na zona leste de São Paulo. No entanto, o suspeito não estava no local.

Histórico Criminal

A ficha criminal de Cebola, obtida pelo Metrópoles, revela que ele foi preso pela primeira vez em janeiro de 1998, sob acusação de roubo. Inicialmente, foi detido na carceragem do 4º Distrito Policial de Guarulhos, na Grande São Paulo.

Posteriormente, ele passou por penitenciárias em Valparaíso, Lucélia e Mirandópolis, no interior paulista, antes de obter liberdade condicional em 2002.

Em junho de 2012, Cebola foi preso novamente pela Rota, unidade especializada da Polícia Militar, na garagem de uma empresa de transporte na zona leste da capital. Na ocasião, foram apreendidos 635 quilos de maconha e mais de R$ 149 mil. As investigações revelaram que Cebola trabalhava oficialmente em uma cooperativa de transporte, mas, na verdade, ocupava uma posição de liderança no PCC.

Não deixe de curtir nossa página  no Facebook   e também  no Instagram  para mais  notícias  do intrometendo.

– Publicidade –

Compartilhe:

Deixe um comentário



© 2024 Intrometendo | Web Stories | Privacidade | Google News | APP (Android)) |