Música

End of the Day – Courtney Barnett – Crítica

Compartilhe:

 Courtney Barnett é uma artista única. Ela tem influência, mas não é uma influenciadora. Ela é amigável, mas preserva uma presença extremamente privada.

E ela manteve uma média de rebatidas incrível ao longo de uma carreira de dez anos.



Barnett é frequentemente chamada de “a voz de sua geração”. Ela é respeitada e reverenciada por fãs e colegas. Seu último álbum, End of the Day, é uma peça instrumental originalmente concebida como música para seu filme Anonymous Club.

Barnett gravou as ideias de guitarra ambiente e sintetizador que se tornaram End of the Day com sua colaboradora de longa data Stella Mozgawa. Eles criaram algo totalmente diferente da discografia anterior de Barnett, mas que às vezes revela algo reconhecível e familiar.

O estilo de violão de Barnett, simultaneamente lúdico e sombrio, está presente em toda a peça meditativa. Fim do dia parece quase uma entrada de diário, uma visão da progressão de um pensamento ou sentimento. Dessa forma, às vezes perde o fio do interesse e o reencontra em outro lugar.

É uma sensação incrivelmente íntima, e às vezes é preciso lutar contra a vontade de se afastar. O som às vezes se torna quase silencioso, sugerindo movimento para dentro e para fora do pensamento consciente e consciência de ser percebido.

Embora os ouvintes possam ter ficado surpresos com a natureza dos três singles que Barnett lançou em julho, este novo território para Barnett apenas prova que ela é uma mestre em seu ofício. Ela conquista o ouro novamente com sua nova incursão na trilha sonora.

É interessante que a trilha sonora escolhida por Barnett para o filme sobre sua vida seja muito mais moderada do que o resto de sua discografia. Onde antes ela dependia de reviravoltas líricas francas e reveladoras para transmitir emoções, ela aqui demonstra que pode fazer o mesmo apenas com seu instrumento.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo