Literatura

Soul Taken – Sangu Mandanna – Resenha

Compartilhe:

Soul Taken era absolutamente imbatível. Um verdadeiro virador de páginas. Uma história fantástica e uma revisitação com personagens favoritos. E não estou exagerando quando digo que a série melhora a cada livro. Mas ao lado do romance eu amo mais os personagens.

 

Eles nunca ficam estagnados nesses livros e por causa disso nunca ficam chatos. Além de Adam e Mercy, e toda a sua matilha e amigos, um dos personagens mais fascinantes é Wulfe. Ele pode ser considerado um inimigo, já que ele é um vampiro, vamos chamá-lo de frenemy, mais inimigo do que amigo. Mas ele é tão interessante, multifacetado e sua obsessão doentia por Mercy é a coisa mais fascinante de todas. Mal posso esperar para ler mais sobre ele.

 

O vampiro Wulfe está desaparecido. Já que ele é mortal, possivelmente insano, e sua ideia atual de “diversão” está me perseguindo, alguns podem não ver isso como uma grande perda. Mas, avisado que seu desaparecimento pode derrubar as alianças cuidadosamente construídas que mantêm nosso bando seguro, meu companheiro e eu devemos encontrar Wulfe e esperar que ele ainda esteja vivo. Tão vivo quanto um vampiro pode ser, de qualquer maneira. Como o vampiro Wulfe está desaparecido e eles devem encontrá-lo e impedir o Harvester de aterrorizar seu território. Houve muita emoção que manteve a história interessante e alguns momentos mais calmos que ilustraram a força do vínculo entre Adam e Mercy. Houve alguns desenvolvimentos que devem ter um impacto em livros futuros também.

Mas Wulfe não é o único que desapareceu. E agora também há corpos. O Harvester voltou para as Tri-Cities, ceifando almas com sua foice amaldiçoada? Ou ele é apenas um personagem de um filme de terror B e nosso inimigo é outra pessoa? Quanto mais sigo o rastro de Wulfe, mais tortuoso — e mais escuro — fica o caminho. Preciso descobrir o que está acontecendo antes que o próximo corpo no chão seja meu. Eu também sou alguém que ama a dinâmica da matilha, as amizades, a vida cotidiana, a hierarquia da matilha, e adoro que a matilha jogue videogames piratas em seu tempo livre. Claro que nem tudo são raios de sol e arco-íris, mas seu núcleo é forte e juntos eles podem consertar todas as bagunças e enfrentar todos os males.

Tantas coisas incríveis acontecem em Soul Taken. Ficamos a saber mais sobre Wulfe e Sherwood. Aprendemos mais sobre Zee. Tad pode estar namorando alguém. Warren está lidando com algo que ele não quer que o bando saiba (mas no final eu achei fofo). Samuel e Coyote ambos têm uma participação especial. Eu senti como se fosse Natal e eu estava recebendo presentes vindos de todos os lugares. A única coisa que teria melhorado era uma aparição de Bran ou talvez Anna e Charles.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo