Literatura

Billy Summers – Stephen King – Resenha

Compartilhe:

Billy Summers é um homem em uma sala com uma arma. Ele é um assassino de aluguel e o melhor no negócio. Mas ele fará o trabalho apenas se o alvo for um cara realmente mau. E agora Billy quer sair. Mas primeiro há um último golpe. Billy está entre os melhores atiradores de elite do mundo, um veterano condecorado da guerra do Iraque, um Houdini quando se trata de desaparecer depois que o trabalho é feito. Então, o que poderia dar errado?

 

E eu espero que sim, porque Billy Summers é um livro muito bom em qualquer medida. Muitos estão dizendo que é o seu melhor em anos, e eu tenho que concordar com eles. É uma jóia não-horror na coroa de King que poderia ser confundida com um romance de um autor como SA Cosby ou talvez até Dennis Lehane. Sem horror, sem fantasmas. (Bem, a menos que você conte os fantasmas do cânone de King que flutuam pela história na forma de ovos de Páscoa deliciosamente colocados. Eu vejo você, palhaço no banco de trás! Eu adoro você, labirinto do Overlook Hotel!)

 

Enquanto Billy Summers, o livro, chega perto da perfeição, Billy Summers, o personagem, é imperfeitamente perfeito. Ele é um franco-atirador da guerra do Iraque que usa suas habilidades pós-batalha como um assassino de aluguel. Mas ele é um rebatedor com coração de ouro, porque só aceita empregos para eliminar “pessoas ruins”. (Sim, é um pouco “Barry” encontra “Dexter.”) A primeira parte do romance serpenteia pela configuração de seu personagem e seu “trabalho final”, e então no meio do caminho ele toma uma direção que eu nunca viu chegando. E essa direção está na forma de uma relação entre dois personagens que vou lembrar por muito tempo.

O que mantém a história firme na linha são as coisas que você pode esperar de King. O conto prende você rapidamente com personagens autênticos e muitas possibilidades na trama. King insere pequenas observações da vida e das pessoas que disparam as sinapses no meu cérebro. Também tenho gostado do afastamento ocasional de King do sobrenatural. Este é um conto de ação e aventura direto e o único encontro sobrenatural é uma chamada divertida para um romance anterior que é realmente desnecessário para o enredo. Sendo fã de King, sempre gosto dessas pequenas conexões entre seus trabalhos. Finalmente, o final, bem o final final, é divertido, e esta é uma área onde King ocasionalmente tropeça. Direi apenas que King fica um pouco introspectivo e presta homenagem à alegria que a escrita trouxe à sua vida neste final.

Billy Summers também apresenta o dispositivo livro dentro de um livro, porque Billy está escrevendo um livro de memórias sobre sua infância e experiências de guerra. Os leitores obtêm ainda mais contexto para suas motivações por meio dessas seções. Como sobre tudo. Este romance espetacular que não dá para largar é parte história de guerra, parte carta de amor para a pequena cidade americana e as pessoas que vivem lá, e apresenta uma das duplas mais atraentes e surpreendentes da ficção de King, que se propôs a vingar os crimes de um homem extraordinariamente mau. É sobre amor, sorte, destino e um herói complexo com uma última chance de redenção.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo