Literatura

The Woman in the Library – Sulari Gentill – Resenha

Compartilhe:

A ornamentada sala de leitura da Biblioteca Pública de Boston está silenciosa, até que a tranquilidade é quebrada pelo grito aterrorizado de uma mulher. Os guardas de segurança assumem o comando imediatamente, instruindo todos no interior a ficarem parados até que a ameaça seja identificada e contida. Enquanto aguardam a liberação, quatro estranhos, que por acaso estavam sentados à mesma mesa, passam o tempo conversando e as amizades são feitas. Cada um tem suas próprias razões para estar na sala de leitura naquela manhã — acontece que um é um assassino.

Uma história está escondida dentro de outra história sobre um escritor construindo outra história de suspense: você está confuso com a linha da história nos lembrando da versão inteligente do livro de suspense do roteiro de A Origem! Pelo menos ninguém está sonhando neste livro! É apenas uma história tridimensional, então você precisa usar seus óculos 3D durante a leitura para não se perder! Este livro foi escrito em um estilo único, não convencional, sinuoso e inteligente.

Há uma história de assassinato principal conectando quatro álibis que coincidentemente (ou não coincidentemente) se encontram na BPL para suas próprias pesquisas de escrita. E no final de cada capítulo contém e-mails sobre as críticas de um verdadeiro fã sobre a continuação da história que ainda está escrita! Você ainda não está envolvido? É absolutamente fascinante e despertou meu interesse com o final impactante do primeiro capítulo: personagem principal da história: Winifred Kincaid aka, 27, uma aspirante a escritora australiana que veio para os estados se beneficiando da Marriott Scholarship escolhe o mesmo dia para trabalhar em a Biblioteca Pública de Boston com três jovens aleatórios que dividem a mesma mesa com ela.

Ela observa três deles sem dar muita pista: menina tatuada de 23 anos com piercing no nariz: ela a chamava de “Freud Girl” e seu nome verdadeiro é Marigold Anastas, uma garota viva, excêntrica e enérgica que estuda psicologia com tendências stalking ( traço incomum para a escolha de seu curso). Estudante de Direito de Harvard, filhinho da mamãe com charme de paquera, filho querido de uma advogada poderosa, ela chamou de “Heroic Chin” e seu nome verdadeiro é Whit Metters. A premiada autora Sulari Gentill oferece uma leitura altamente emocionante com The Woman in the Library, uma aventura literária inesperadamente sinuosa que examina a natureza complicada da amizade e nos mostra que as palavras podem ser as armas mais traiçoeiras de todas.

O final surpreendente também foi notável. Eu estava pensando em elogiar muito, mas o culpado da subtrama era um pouco óbvio, embora o autor se esforçasse mais para nos enganar apontando os outros personagens como suspeitos. Mas as duas histórias interceptadas únicas (ambas são interessantes) e o final inteligente ganharam minha meia estrela adicional.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo