Literatura

The Island – Adrian McKinty – Resenha

Compartilhe:

Depois de se mudar de uma pequena cidade do interior para Seattle, Heather Baxter se casa com Tom, um médico viúvo com um filho pequeno e uma filha adolescente. Umas férias de trabalho no exterior parecem ser a maneira perfeita de reunir a nova família, mas uma vez que estão no interior da Austrália, as crianças exaustas e com jet lag estão tão cansadas de sua nova mãe.

Quando descobrem a remota ilha holandesa, fora dos limites para visitantes de fora, a família abre caminho para a balsa, arriscando-se em uma aventura longe do alcance de iPhones e Instagram. Mas assim que eles pisam na ilha, que é administrada por um clã de moradores locais, tudo parece errado. Então, um acidente chocante impulsiona os Baxters de uma situação perturbadora para um pesadelo absoluto. Quando Heather e as crianças são separadas de Tom, eles são forçados a escapar sozinhos, segundos à frente de seus perseguidores.

Depois de alguns thrillers medíocres seguidos, eu realmente gostei da minha viagem à Ilha . Gostei, mas não amei A Corrente , achei o livro intrigante, mas fiquei atolado e tedioso no meio do caminho. Este para mim evitou essa armadilha, impulsionando o enredo para a frente. Eu geralmente não gosto de livros com longos períodos de perseguição e ocultação e mais perseguição (quer dizer, o título original para este era The Chase), mas este romance teve ação e intensidade suficientes para me manter envolvido em vez de entediado.

Eu não li a sinopse da contracapa ou quaisquer comentários muito de perto antes de ler este romance, e eu acho que é melhor ir um pouco cego. Eu gostei dos personagens em sua maior parte e senti que o autor fez um ótimo trabalho ao dar-lhes histórias interessantes e características que não eram o que eu esperava. A ação torna esta história uma virada de página intensa, pois eu estava ansioso para saber quais personagens (se algum) sairiam vivos no final. Fiquei acordado até tarde da noite para terminar isso, e esse é o sinal de um livro cativante. Aviso justo, alguns cães chegam a um fim feio, mas por alguma razão isso não me incomodou muito. No entanto, leitores sensíveis podem querer pular algumas páginas ao ler que está chegando.

Este é um livro perfeito? Não. Há algumas coisas que exigem alguma suspensão da descrença, mas se você simplesmente seguir em frente, com certeza se divertirá com algo um pouco fora do comum, e é exatamente isso que tenho procurado ultimamente. Heather Baxter, de 24 anos, mudou-se recentemente de Seattle e conheceu e se casou com Tom, um médico viúvo. Ele é mais velho que ela e tem dois filhos, a adolescente Olivia e o filho de 12 anos Owen. Eles moram em uma bela casa, são financeiramente saudáveis, mas embora Heather se esforce ao máximo, as crianças não a aceitam depois de perder a mãe no ano passado.

Agora cabe a Heather salvar a si mesma e as crianças, mesmo que eles não confiem nela, o cerrado áspero está cheio de perigos, e os moradores a querem morta. Heather foi subestimada durante toda a sua vida, mas ela sabe que só ela pode trazer sua família de volta para casa e se tornar a mãe que as crianças precisam desesperadamente, mesmo que isso signifique fazer o impensável para mantê-los vivos.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo