Literatura

A Botanist’s Guide to Parties and Poisons – Kate Khavari – Resenha

Compartilhe:

Saffron Everleigh está em uma corrida contra o tempo para libertar seu professor injustamente acusado antes que ele fique atrás das grades para sempre. Perfeito para os fãs de Deanna Raybourn e Anna Lee Huber, o mistério histórico de estreia de Kate Khavari é uma aventura rápida e destemida.

Londres, 1923. A assistente de pesquisa recém-formada, Saffron Everleigh, participa de um jantar para o University College de Londres. Enquanto ela espera se envolver em conversas sobre a grande expedição da universidade à Amazônia, ela não espera que a Sra. Henry, uma das esposas dos professores, caia no chão, envenenada por uma toxina desconhecida.

A história principal acontece nos escritórios da universidade, que é muito bem retratada. Fui transportada para aquele período, dentro de salas abafadas cheias de livros e possibilidades. O mistério é bastante fácil e há o romance florescente entre Saffron e Anthony como um lado. Saffron é uma personagem legal, ela está tentando o seu melhor para possuir seu lugar no mundo acadêmico, mas ainda está hesitando, duvidando de si mesma. Ela é peculiar e divertida e eu gostei dela. O conteúdo é o que sua linda capa promete: colorido e detalhado com um toque de humor. Uma leitura muito agradável mesmo.

Mistério aconchegante encontra thriller histórico com vibrações românticas e uma capa artística impressionante é um pacote sonhador para meus desejos de suspense! Os eventos acontecem na Londres de 1920. Nossa heroína Saffron é uma cientista aspirante, impetuosa e vívida que sabe muito sobre o uso de venenos que a ajuda a ajudar na investigação de uma tentativa de assassinato suspeita!

Sua mente relacionável e inteligente e traços genuínos, diretos e naturais ajudam a entrar na história rapidamente. Sua determinação e resiliência a alimentam para lutar contra os traços condescendentes, sexistas e injustos de seus colegas. A autora retratou com sucesso uma heroína difícil, mas também um pouco impulsiva que às vezes age mais rápido antes de pensar, o que serve a um traço complexo contra seus traços observadores como um verdadeiro cientista.

Dr. Maxwell, mentor de Saffron, é o principal suspeito, tendo tido uma discussão explosiva com o Dr. Henry alguns dias antes. À medida que as evidências se acumulam contra o Dr. Maxwell e a partida da expedição se aproxima, Saffron percebe que se ela quiser que o nome de seu mentor seja limpo, ela mesma terá que fazer isso.

Acompanhado pelo enigmático Alexander Ashton, um colega pesquisador, Saffron usa seu conhecimento de botânica enquanto explora estufas fumegantes, jardins escuros e venenos mortais. Ela será capaz de descobrir a verdade ou sua investigação a colocará na lista do assassino? A história abre com uma cena de festa com a presença de acadêmicos e da alta sociedade que se propõem a apresentação de expedição mas a noite termina com tentativa de envenenamento de um dos integrantes! O professor de Saffron, Professor Maxwell, é acusado pela tentativa de envenenamento que leva Saffron a descobrir o verdadeiro perpetrador, juntando-se ao charmoso veterano Alexander Ashton. (quando você vê a palavra: encantador, você já está avisado que um romance delicioso entre dois personagens está prestes a sair!)

A história começou forte mas no meio do livro, o ritmo ficou um pouco mais lento e a identidade de perpetrador era um pouco forçado, mas ainda era agradável, interessante, fascinante e aconchegante mistério de assassinato. O cientista, o desenvolvimento peculiar da heroína e as partes românticas são bem executados.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo