Literatura

Fool Me Once – Ashley Winstead – Resenha

Compartilhe:

Lee Stone é uma mulher do século XXI, ela arrasa em seu trabalho como diretora de comunicação em uma empresa de carros elétricos dirigida por mulheres (isso é melhor que Tesla, obrigado) e depois do trabalho ela é “Stoner”, bebendo caras sob a mesa e nunca deixar nenhum deles ficar muito confortável em sua cama.

A razão é óbvia: eu não gosto de ler romances quando um dos MC’s (ou dois deles) trai. É um grande não para mim, embora o autor nos diga claramente o raciocínio por trás das ações dos personagens, ainda hesito em confiar em seus comportamentos.

Desde o início, tive dificuldade em me conectar com Lee. Ela é uma ótima diretora de comunicação que não aceita merda nenhuma de homem. Ela era um grande retrato de anti-heroína no início. Esperei para ver o desenvolvimento de seu personagem e desejei que ela visse seus erros para aprender suas lições. Entendo como seus problemas de confiança e o sentimento de não merecer o amor de alguém foram os contratempos que a impediram de formar um vínculo sincero em seus relacionamentos. Mas eu não vi esforço suficiente dela no final. Eu gostaria de ter testemunhado como ela cresceu, vestiu calças de menina grande, compensando as falhas que ela fez!

No geral ainda foi um romance bem escrito, divertido e inteligente de um dos autores brilhantes de quem gosto de ler as obras. Eu gostaria de poder me relacionar mais com a heroína.

Isso porque Lee aprendeu uma grande lição: nunca confie no amor. Depois de quatro grandes desgostos, desde seu pai traindo sua mãe até Ben Laderman na pós-graduação – que não estava realmente traindo, mas ela poderia jurar que estava, então ela retribuiu na mesma moeda.

Ashley Winstead pode escrever qualquer gênero, e eu vou devorá-lo. Fool Me Once tem tudo que os leitores de romance vão adorar, um protagonista bagunçado, química por dias, tempero e momentos de gargalhadas.

Lee Stone é diretora de comunicações de uma empresa de carros elétricos dirigida por mulheres. De dia, ela é a profissional consumada e, à noite, ela é simplesmente Stoner para seus amigos mais próximos.

Depois de ter seu coração partido várias vezes, Lee renunciou a relacionamentos comprometidos e está apenas procurando se divertir.

Sua vida delineada é revirada quando Ben, o último homem que partiu seu coração, retorna ao Texas, e as circunstâncias forçam os dois a trabalharem juntos. Ambos estão convencidos de que estão definitivamente acima do outro. Logo, o par cai em seus velhos hábitos de flertar e competir um contra o outro.

Eu li e amei a estreia de Ashley em In My Dreams I Hold a Knife, então não é surpresa que eu tenha gostado tanto de sua estreia romântica. Romance não é meu gênero preferido, mas os personagens totalmente relacionáveis ​​e o humor me mantiveram grudado na história.

Então Ben aparece cinco anos depois, trabalhando como especialista em políticas para o governador mais liberal da história do Texas, no momento em que Lee está tentando fazer uma conta de energia limpa rolar. As coisas ficam complicadas e competitivas quando Lee e Ben são forçados a trabalhar juntos. A tensão aumenta assim como as velhas faíscas reacendem, atiçando as chamas para uma briga romântica do tamanho do Texas.

Eu gostei que havia mais nessa história do que apenas o romance. O grupo de amigos de Lee era seu carona e muitas vezes a chamava amorosamente. Não costumo gostar de política quando leio ficção, mas eles se inclinaram para a esquerda, o que me manteve torcendo para que Lee e Ben fizessem o trabalho.

Então, embora existam elementos deste romance que eu normalmente não usaria, Ashley Winstead os gira todos juntos de uma maneira divertida e compulsivamente legível. Continuarei a ler o que ela escrever e mal posso esperar pelo próximo thriller.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo