Literatura

2001: uma odisseia no espaço – Michael Benson – Resenha

Compartilhe:

Michael Benson é um autor que dedicou grande parte de sua carreira ao estudo e compreensão do espaço sideral, com muitos de seus trabalhos explorando os recentes avanços e descobertas feitas no domínio. Para seu último livro, Space Odyssey , ele decidiu se aventurar na terra da ficção, narrando a realização do que talvez seja o filme de ficção científica mais renomado e profundo de todos os tempos, 2001: A Space Odyssey, criado em conjunto esforço entre Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke .

Falando em termos relativos, o cinema não existe há tanto tempo, mal ultrapassando a marca de cem anos recentemente, evoluindo de filmes mudos granulados para uma abundância moderna de efeitos especiais e técnicas inventivas de contar histórias. Ao longo do caminho, alguns filmes se destacaram como marcos que ajudaram a impulsionar a arte do cinema em seu desenvolvimento, e 2001: Uma Odisseia no Espaço , dirigido por Stanley Kubrick , é sem dúvida um dos mais importantes.

Saindo em 1968, tinha a enorme distinção de ser filosoficamente profundo, bem como realista em suas imagens e representação da tecnologia. Décadas depois, as pessoas ainda estão dissecando e debatendo o filme, analisando-o quadro a quadro e desenvolvendo constantemente novas teorias sobre seu conteúdo. Em seu livro intitulado Space Odyssey , Michael Benson joga seus dois centavos na pilha, tentando narrar o esforço magnânimo que resultou em um dos filmes mais memoráveis ​​de todos os tempos.

Sua abordagem para contar a história de como o filme surgiu é bastante simples e direta. Ele segue em ordem cronológica desde o início da ideia (que veio na forma de um conto de Arthur C. Clarke ) até o lançamento do filme e seus efeitos na indústria décadas depois.

Ao longo do caminho, aprendemos sobre as muitas pessoas que cercaram os criadores do projeto, aqueles que tornaram tudo possível nos bastidores. Muitos de seus materiais incluem entrevistas com pessoas que estavam realmente trabalhando no projeto na época, incluindo a viúva de Kubrick , Christiane . Através de seus relatos, Benson tenta fornecer uma visão abrangente do caminho percorrido pelo lendário filme, desenterrando no processo muitas histórias interessantes que não seriam contadas de outra forma.

Para começar, gostaria de estabelecer minhas opiniões pessoais sobre o filme em questão. Embora, falando objetivamente, eu possa reconhecer o domínio envolvido em termos visuais, narrativa e implicações filosóficas, pessoalmente acho que o filme sofre um pouco com seu ritmo tremendamente lento e parece se divertir um pouco demais com o meu gosto.

No entanto, esta é apenas a minha opinião pessoal, e devo dizer que surpreendentemente não me impediu de gostar nem um pouco deste livro. Quer você se considere ou não fã do filme , amando ou odiando, não se pode negar o quão especial é um projeto. Do ponto de vista do cinema, há uma riqueza de informações interessantes para digerir para qualquer um que se considere um fã de cinema em um sentido geral. O livro oferece muitos pequenos detalhes interessantes, às vezes na frente técnica, sobre como Kubrick conseguiu alcançar o que fez na câmera, criando um dos poucos filmes que podemos dizer com segurança que ainda se mantém na era moderna.

Há alguns detalhes sobre as dificuldades que eles tiveram que superar em um sentido mais técnico, as soluções inteligentes que eles eventualmente inventaram e, essencialmente, o que acontece nos bastidores da criação de um filme de grande orçamento. Ficamos a par de todos os processos de escrita, reescrita, design, efeitos especiais, acrobacias e coordenação musical.

Além disso, oferece uma visão muito convincente de como uma ideia pode florescer de uma semente em algo muito maior do que jamais poderia ter esperado. Na minha opinião, Benson fez um trabalho notável ao nos mostrar a evolução de uma visão, quão lenta mas seguramente tudo isso veio junto com um desenvolvimento cuidadoso e carinho. Acho que serve como um lembrete bem-vindo do fato de que mesmo os projetos mais ambiciosos começaram nos níveis mais baixos.

Embora Benson preste muita atenção aos elementos técnicos de fazer este filme, ele dedica um esforço igual, se não maior, para nos familiarizar com todas as pessoas que realmente tornaram a realização da ideia uma possibilidade. O autor fez um trabalho esplêndido na coleta de informações, indo além do necessário com suas muitas entrevistas com as pessoas que estavam realmente trabalhando no projeto.

As histórias que contam são muitas vezes carregadas de honestidade e nostalgia, demonstrando o lado humano escondido atrás da máscara de uma grande produção. Embora eu perceba que muitas de suas histórias não são realmente essenciais para entender a produção deste filme, elas adicionam elementos emocionais que, em última análise, tornam o livro uma leitura mais agradável.

Mais do que tudo, o autor nos fornece alguns insights bastante intrigantes sobre a mente de Stanley Kubrick, um artista muito intenso que nem sempre foi a pessoa mais fácil de se trabalhar. Benson não se importa em contar as coisas como elas eram ao descrever a relação entre o diretor e todos os outros ao seu redor, dos atores aos figurantes e vários membros da equipe.

Ele dedica um tempo para mergulhar nos aspectos mais negativos de empreender um empreendimento tão grande, no processo nos ajudando a entender o funcionamento interno de talvez um dos maiores diretores de cinema de todos os tempos. Na verdade, eu diria que as entrevistas encontradas neste livro nos oferecem um pouco mais de informações do que a maioria dos outros trabalhos biográficos disponíveis sobre ele.

Para concluir, se você é fã de cinema, ficção científica em geral ou do próprio filme, direi sem rodeios, Space Odyssey , de Michael Benson , é um livro que você deve ler. A quantidade de informações que tem sobre Kubrick , sua equipe, a indústria cinematográfica e a produção de 2001: Uma Odisseia no Espaço é simplesmente incomparável.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo